E se mesmo sabendo que o risco da cirurgia de varizes é pequeno eu não quiser operar? (Parte 1)

Posted on

Um problema pouco conhecido, mas com muitos casos entre as mulheres é o de varizes no útero ou varizes pélvicas como também são conhecidas.

A varizes pélvicas são causadas pela congestão ou obstrução das veias ao redor do útero. O surgimento de varizes no útero (ou varizes pélvicas) acontece devido à dilatação e alongamento das veias na região da pelve¹. Apesar de também afetarem homens, as varizes pélvicas nas mulheres são mais difíceis de identificar, uma vez que seus sintomas são bastante parecidos com os da endometriose¹. Entenda mais sobre as causas e sintomas das varizes no útero. A incidência de varizes pélvicas aumenta conforme a idade avança e também podem aparecer com maior intensidade durante a gravidez, regredindo após o parto¹. Entre os principais sintomas das varizes pélvicas, estão: ● fortes dores abdominais (na região do baixo-ventre)¹,²; O ecodopler colorido, apesar de ser um exame minimamente invasivo, auxilia no diagnóstico das varizes pélvicas, mostrando veias dilatadas na região dos ovários, do útero e do colo do útero¹. Ao primeiro sinal de dor pélvica crônica persistente, associada a outros sintomas, procure um médico especializado para descartar a possibilidade de varizes no útero. Síndrome da Congestão Pélvica: entenda o que é isso As varizes pélvicas são veias dilatadas ao redor dos órgãos da pelve, como útero e ovários.

E se mesmo sabendo que o risco da cirurgia de varizes é pequeno eu não quiser operar?

  • Encefalopatia (às vezes chamada de encefalopatia hepática),
  • Estenose esofágica após cirurgia ou terapia endoscópica,
  • Choque hipovolêmico,
  • Recorrência de sangramento após o tratamento

A presença dessas varizes em grande quantidade leva ao aparecimento de sintomas, que caracterizam uma doença chamada Síndrome da Congestão Pélvica.

Sendo assim, as varizes pélvicas devem sempre ser investigadas na recidiva da doença varicosa, porque podem ser a causa de seu reaparecimento em até 17% dos casos. Os portadores dessa síndrome, além dos sintomas relacionados com a congestão das veias pélvicas, apresentam ainda dores nos flancos e perda de sangue na urina (hematúria). Tratamento das varizes pélvicas Quando é feito o diagnóstico desse problema, precisamos identificar a causa das varizes para indicar o melhor tratamento. Este tipo de ultrassom revela, em muitos casos, um aumento dos canais venosos pélvicos e fornece a confirmação de que as varizes pélvicas são afetadas pela gravidade. As varizes pélvicas são dilatações das veias localizadas na pelve, próximas ao útero, que causam refluxo para os membros inferiores e geram muitos sintomas, como as varizes nas pernas. Tanto os hormônios quanto o útero crescido causam o surgimento de novas varizes e o aumento das que já existiam anteriormente. Esse fluxo lento aumenta a pressão nas veias, levando à maior dilatação (as varizes pélvicas). A pessoa portadora de varizes pélvicas poderá também apresentar varizes cuja causa não se encontra nas pernas, mas sim nas veias insuficientes da pelve. Confirmada  a causa da dor pélvica pelas varizes pélvicas, durante esse exame já podemos realizar o seu tratamento intervencionista.

Varizes no colo do útero ou ovário pode causar dores abdominais crônicas

  • Aumentar o volume do fluxo menstrual
  • Presença de coágulos
  • Aumento da frequência urinária
  • Retenção da urina
  • Prisão de ventre
  • Inchaços nas pernas e varizes

Uma causa pouco conhecida e às vezes subdiagnosticada de dor pélvica crônica (que dura mais de seis meses) é relacionada a varizes pélvicas.

As varizes pélvicas são veias dilatadas (como aquelas que ocorrem nas pernas) localizadas dentro do abdômen, próximas aos órgãos pélvicos como o útero, os ovários e a bexiga. Quando existe a suspeita, exames complementares devem ser realizados para confirmar a presença das varizes pélvicas e também investigar sua(s) causa(s), a fim de estabelecer a sequência adequada de tratamento. Através de uma simples punção, é possível realizar o tratamento das varizes pélvicas por meio de embolizações e também tratar a causa das varizes com a utilização de stents vasculares. Tecnicamente chamadas de sinéquias uterinas, as cicatrizes no útero se formam, geralmente, após cirurgias, curetagens e processos infecciosos. As varizes pélvicas se formam por causa da dilatação das veias ovarianas e uterinas, que impedem a volta do sangue para o coração. Há dois métodos possíveis para o tratamento de varizes pélvicas: o uso de medicamentos específicos para a secagem das varizes ou cirurgia (embolização das artérias uterinas). Sintomas que são normalmente associados a doenças ginecológicas podem, na verdade, esconder uma disfunção ainda pouco conhecida, mas que acomete principalmente as mulheres depois dos 30 anos: as varizes pélvicas. Considerada a principal causa da dor pélvica crônica, esse tipo de varizes causa dor no útero, ovários e vulva. Os sintomas mais relatados das varizes pélvicas são dor abdominal ou pélvica crônica, dispareunia (dor no ato sexual), disfunção menstrual, cólicas e incontinência urinária”, explica.

Varizes Pélvicas – Causas, Sintomas e Tratamento

  • ·Disfunção Sexual devida à condição médica geral (exemplo: varizes pélvicas, cistite intersticial, transição menopausal).
  • ·Disfunção Sexual induzida por substância (exemplo: remédios antidepressivos, ansiolíticos, anticoncepcionais, etc).
  • ·Disfunção Sexual sem outra especificação.

Pode caracterizar-se por dores abdominais e pélvicas, dores de cabeça, dores mamárias, entre outros sintomas físicos e de alteração do comportamento.

Perfil do Profissional Deise Poltronieri Formação em Neopompoarismo Varizes Pélvicas – Causas, Sintomas e Tratamento de forma 100% natural. Embora afetando principalmente as mulheres, os homens também podem sofrer de varizes pélvicas, causando uma muito diferentes sintomas e as consequências podem ser muito graves. Então, confira Varizes Pélvicas – Causas, Sintomas e Tratamento. Varizes Pélvicas em Mulheres: Varizes ocorrem em mulheres são em torno do útero, ovários e trompas de falópio. As varizes pélvicas são veias dilatadas na pelve, que apesar de não ter cura, os sintomas podem ser controlados através de tratamento clínico e/ou cirúrgico. A incidência de varizes pélvicas aumenta conforme a idade avança e também podem surgir com maior intensidade durante a gravidez, regredindo após o parto. As Varizes Pélvicas são dilatações das veias localizadas na pelve, próximas ao útero. Este é um dos sintomas da Síndrome de Congestão Pélvica, também conhecida como varizes pélvicas. As varizes pélvicas são causadas pela dilatação das veias que drenam o sangue dos órgãos pélvicos (útero e ovários).

Saiba o que são, as causas, sintomas e tratamento das varizes pélvicas.

Sabendo que a gravidez pode piorar as varizes pélvicas, agravando seu tamanho ou mesmo sintomas”, alerta.

Cólicas intensas: se as dores no útero persistirem por mais de dois dias e se começarem muito antes do fluxo menstrual, pode ser um sinal de dismenorreia secundária¹. Febre: quadros de febre associados a dores pélvicas e/ou mais sintomas, podem ser um sinal de doença inflamatória pélvica e de miomas³. Os miomas uterinos são tumores benignos formados no tecido muscular que forma o útero, e apesar de nem sempre causarem sintomas, podem provocar dor pélvica, sangramentos ou dificuldade para engravidar. A presença de uma hérnia na região pélvica pode causar dor nesta região, assim como a inflamação ou lesão de qualquer músculo localizado nesta área causam este sintoma. As que apresentam dores crônicas na pelve, ou seja, presentes há muito tempo e muito frequentes, podem ter a Síndrome de Congestão Pélvica, também conhecida como varizes pélvicas. As varizes pélvicas são veias dilatadas e estão presentes ao redor do útero, trompas e ovários. Além disso, alteração hormonal e a compressão exercido pelo aumento do útero e criança sobre as veias pélvicas leva a maior ocorrência de varizes, em especial nas mulheres multíparas. As varizes pélvicas são veias dilatadas que surgem principalmente no útero, trompas ou ovários, na mulher, e nos testículos no homem, que se chama varicocele. As varizes pélvicas não têm cura, mas os sintomas podem ser controlados através de cirurgia e remédios.

Dores abdominais crônicas podem ser sinal de varizes pélvicas

Ainda hoje, a relação da presença de varizes pélvicas com a dor pélvica crônica segue controversa entre os médicos.

Sinais ou sintomas como constipação, diarréia ou a presença de muco nas fezes sugerem causa gastrointestinal na DPC. Nos casos em que esta cirurgia ou a embolização não são eficazes, pode ser necessário fazer uma cirurgia para remoção das varizes, ou retirada do útero ou ovários. (5) Um problema pouco conhecido, mas com muitos casos entre as mulheres é o de varizes no útero ou varizes pélvicas como também são conhecidas. Não é comum varizes uterinas e pélvicas darem sintomas e nem causarem trombose profunda, formação de coágulos e embolia pulmonar. O cirurgião ou ginecologista vai operar o útero, ovário e pode encontrar varizes pélvicas.