Quais são as causas de sangramento das varizes esofágicas?

Posted on

A hipertensão portal é uma complicação de evolução progressiva da cirrose hepática, sua consequência direta é a formação de varizes esofágicas, com risco de hemorragia digestiva alta e sangramento.

O sangramento por varizes esofágicas é uma complicação potencialmente letal da cirrose, principalmente em pacientes que apresentam outras complicações clínicas da cirrose como icterícia ou episódios prévios de hemorragia varicosa. No momento do diagnóstico, varizes esofágicas estão presentes em pouco menos de 50% dos pacientes e cerca de um terço dos pacientes com cirrose hepáticadesenvolverão hemorragia varicosa. O risco de sangramento das varizes esofágicas é relacionada ao seu tamanho, grau de disfunção hepática e as chamadas marcas vermelhas ou “red spots”. A classificação MELD, que é usada para indicar transplante hepático, prediz o desenvolvimento da descompensação em pacientes sem varizes esofágicas e mortalidade em seis semanas após o evento hemorrágico. O sangramento de varizes de fundo gástrico é mais grave entre as varizes gástricas e está associado com uma maior taxa de morte do que o sangramento de varizes esofágicas. Os critérios de avaliação para classificação usados na classificação de Beppu &cols são a cor das varizes, a presença de manchas vermelhas, as formas e localizações destas, detalhadas logo abaixo. Objetivo: Avaliar o perfil evolutivo das varizes esofágicas após esplenectomia + ligadura da veia gástrica esquerda associada à escleroterapia endoscópica na hipertensão portal esquistossomótica. Houve redução do grau, calibre e red spots em todos os pacientes (p<0,05). Conclusão: Houve redução do grau, calibre e dos red spots das varizes esofágicas em todos os pacientes.

A cirurgia de varizes é um procedimento realizado em Hospital para portadores de varizes de médio e grosso calibre.

  • Úlcera gástrica;
  • Úlcera duodenal;
  • Varizes esôfago-gástricas;
  • Câncer no esôfago, estômago ou duodeno;
  • Perfuração do esôfago, estômago ou duodeno.

O sangramento de veias varicosas localizadas na porção inferior do esôfago (varizes esofágicas) pode ser tratado de várias maneiras.

Resumo A hemorragia digestiva alta decorrente da ruptura de varizes esofágicas é causa importante de morbimortalidade entre os pacientes com hipertensão porta. Palavras-chave: Varizes Esofágicas e Gástricas; Hipertensão Portal; Hemorragia Gastrointestinal; Endoscopia Gastrointestinal; Cirrose Hepática; Fatores de Risco. Resulta na formação de varizes esofágicas (VEs), varizes gástricas e gastropatia da hipertensão porta e, como consequência, na hemorragia digestiva alta (HDA). Após análise multivariada, a plaquetopenia (<118.000/mm3), ascite e esplenomegalia ao exame ultrassonográfico associaram-se de forma independente a varizes de grosso calibre. Na ausência desses fatores, a prevalência de varizes foi de 12,8%, sendo que nenhum desses pacientes apresentava varizes de grosso calibre. Esses fatores permitem identificar o grupo de pacientes cirróticos, com baixa prevalência de varizes e, principalmente, sem varizes de grosso calibre, nos quais a EDA pode ser evitada. Estudos sobre a prevalência de varizes esofágicas e hemorragia digestiva em crianças e adolescentes A maioria dos dados sobre a história natural das VEs procede de estudos em adultos. Dos 24 pacientes que tinham varizes, mas não tinham história de HDA, nove possuíam varizes de grosso calibre (14,8% dos 61 pacientes), sendo, então, submetidos à escleroterapia primária. Quando as veias maiores da superfície se dilatam, temos o aparecimento das grandes varizes, chamadas de grosso calibre.

Diagnóstico das Varizes Esofágicas e Estratificação de Risco

  • Cirurgia. Por vezes o mais importante é resolver a doença de base, a cirrose hepática, através de um transplante de fígado.

As varizes esofágicas são o resultado da hipertensão portal que geralmente é causada por cirrose do fígado.

O tratamento para reduzir a pressão arterial do sangue na veia pode reduzir o risco de sangramento de varizes esofágicas. Se as varizes esofágicas têm um alto risco de hemorragia, o médico pode recomendar um procedimento chamado ligadura elástica. Criando um caminho de suplemento para o sangue, o shunt reduz a pressão na veia porta e muitas vezes pára o sangramento de varizes esofágicas. Tratar a causa do sangramento de varizes esofágicas pode ajudar a evitar a sua recorrência e tratar a doença do fígado que pode impedir o seu desenvolvimento. Atualmente, nenhum tratamento pode impedir o desenvolvimento de varizes esofágicas em pessoas com cirrose. Sinais e Sintomas: - As varizes esofágicas geralmente não produzem sinais ou sintomas, a menos que sangrem, provocando vômitos de sangue, sangue nas fezes e choque hipovolêmico em casos graves. Saiba mais: - Varizes esofágicas são causa frequente de hemorragia do tubo digestivo, dando origem a hematêmese e melena. - A trombose da veia esplênica é outra causa de varizes esofágicas e há ainda outras causas mais raras. Os indivíduos com varizes esofágicas secundárias a cirrose hepática apresentam geralmente outros sintomas relacionados com a sua doença do fígado.

QUIZ Classificação de Varizes Esofágicas. Classificação 1 - Cor fundamental a) Branca (Cw) varizes brancas ou com a mesma cor da mucosa; b) Azul (Cb)

  • Insuficiência hepática (do fígado).
  • Desnutrição.
  • Ingestão de álcool.
  • Exercício físico.
  • Ritmo circadiano não regular.
  • Aumento da pressão intra-abdominal.
  • Tomar aspirina e anti-inflamatórios.
  • Infecção bacteriana.

Prevenção A melhor forma de prevenir as varizes esofágicas consiste em reduzir o risco de cirrose.

Não existe vacina para prevenir a infecção pelo vírus da hepatite C. Se um doente tiver varizes esofágicas, o tratamento pode prevenir a hemorragia. Tratamento O tratamento de emergência da hemorragia por rotura de varizes esofágicas começa pela administração de sangue e de soros por via endovenosa para compensar a perda de sangue. Este tratamento reduz o excesso de pressão nas varizes esofágicas e diminui o risco de hemorragia no futuro. Quando contactar um médico A hemorragia das varizes esofágicas pode por em risco a vida dos doentes. Prognóstico Pelo menos 50% dos doentes que sobrevivem a uma hemorragia por varizes esofágicas encontram-se em risco de uma nova hemorragia nos próximos um a dois anos. de Child, o calibre das varizes e a presença de manchas vermelhas Variz esofágica de grosso calibre sem sinais de sangramento recente; Variz Pseudo tumoral de fundo gástrico com sinais de sangramento recente VGI 1, IRA + Hiperglicemia, Pancitopenia. Varizes de fundo gástrico com sinais de sangramento recente, Hiperglicemia, melhora da função renal, pancitopenico, ssvv estáveis. calibre das varizes, a presença de estigmas endoscópicos chamados de “sinais

Principais tipos de tratamento das varizes esofágicas

e ainda permite avaliar o calibre dos vasos e a presença de sinais da cor

grosso calibre, a partir de terço proximal, sem esofagite e com varizes gástricas em cárdia: (>5mm), com avaliação de sinais da cor vermelha pacientes com cirrose Child-Pugh A sem varizes devem realizar rastreamento Pacientes e Métodos: Entre maio de 2000 e novembro de 2004, foram tratados e acompanhados prospectivamente 50 pacientes cirróticos, com VE de médio e/ou grosso calibre. Além do calibre das varizes, a presença de “sinais da cor vermelha” indicam que as paredes estejam mais finas, facilitando o sangramento. Varizes esofágicas com sangramento Com a alta mortalidade decorrente do sangramento, todo portador de cirrose deve estar alerta quanto a sinais de hemorragia (tabela abaixo). Os critérios de inclusão foram: a) presença de varizes de esôfago de médio ou grosso calibre; b) idade superior a 18 anos; c) concordância em participar do estudo.