Dicas Сaseiras: Quais são as causas da doença venosa crônica e varizes dos membros inferiores? (Parte 1)

Posted on

Essa compressão ocorre em todas as pessoas em algum grau, porém, em determinados indivíduos, esta compressão chega ao ponto de ocluir a veia e causar trombose.

Além dessas duas síndromes, a obstrução das veias ilíacas e veia cava inferior por um quadro de trombose venosa profunda também podem levar ao aparecimento de varizes pélvicas.
(11) 5547-7858 www.julianapuggina.com Consiste na dilatação de veias superficiais dos membros inferiores que junto com outros sintomas compõe a insuficiência venosa. Existem veias gastrocnêmias bilaterais, que drenam na veia poplitea distalmente ao ponto onde drena a veia safena externa. Estas veias de grande calibre têm capacidade contrátil limitada, quando comparadas com a veia safena interna, que possui parede espessa. Foi recentemente adicionado ao arsenal para tratamento das veias varicosas a ablação por radiofreqüência da veia safena. Certamente a extensão da trombose venosa em membro inferior é um importante fator na manifestação dos sintomas. TRATAMENTO ANTICOAGULANTE ORAL Uma vez feito o diagnóstico de trombose venosa, uma decisão deve ser tomada quanto a tratar ou não. A anticoagulação adequada é usualmente efetiva em estabilizar a trombose venosa, mas se o paciente desenvolver embolia pulmonar na presença de anticoagulação adequada, esta indicado um filtro de veia cava. Essa doença tem elevadas incidência e prevalência, tendo associação com varizes, úlceras e lesões tróficas de membros inferiores.

2. Quais são as causas da doença venosa crônica e varizes dos membros inferiores?

  • Hipertensão venosa,
  • Mau funcionamento das válvulas venosas,
  • Mudanças estruturais das veias,
  • Inflamação,
  • Obstrução da circulação venosa
  • Funcionamento insuficiente da bomba muscular no nível da panturrilha.

Todavia, pacientes com insuficiência cardíaca e/ou congestão hepática com edema de membros inferiores não desenvolvem as alterações de pele e úlceras características de pacientes com insuficiência venosa crônica9.

Esses sintomas de dor e cansaço geralmente são mais intensos se houver comprometimento das safenas, veias importantes nos membros inferiores e frequentemente são acometidas por varizes. ACHADOS DO ECODOPLER COLORIDO EM PACIENTES COM SUSPEITA DE TROMBOSE VENOSA PROFUNDA DOS MEMBROS INFERIORES. AVALIAÇÃO PELO ECODOPPLER COLORIDO DA PREVALÊNCIA DE REFLUXO NO COTO DA VEIA SAFENA MAGNA EM PACIENTES COM RECIDIVA DE VARIZES PÓS-SAFENECTOMIA. AVALIAÇÃO PELO ECODOPPLER COLORIDO DA PREVALENCIA DE REFLUXO NO COTO DA VEIA SAFENA MAGNA EM PACIENTES COM RECIDIVA DE VARIZES. RESULTADO DE ANALGESIA DE VEIA SAFENA MAGNA REALIZADA COM OS FATORES DE RISCO NOS PACIENTES OPERADOS POR VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Abordagem da veia safena externa para trombolise do membro inferior esquerdo.. 2013. Isso explica porque é maior a prevalência da trombose venosa profunda no membro inferior esquerdo em mulheres. Entretanto, as veias safenas muito dilatadas e/ou a presença de refluxo autorizam sua retirada para tratamento da doença varicosa, mesmo porque, neste caso, são imprestáveis como “ponte”. Entretanto, todos concordam que alguns fatores de risco propiciam a incidência dos casos, as causas podem ser: Após formação de um trombo no interior da veia (trombose venosa).

Trombose venosa profunda (coágulos nos membros inferiores) Infarto agudo do miocárdio Acidente vascular encefálico Arteriopatias obstrutivas (obstrução nas artérias)

  • Uma das doenças cardiovasculares mais frequente no Brasil, responsável por complicações como a doença renal crônica terminal, é a doença denominada

As manifestações da Doença Venosa Crônica variam em intensidade de acordo com o grau e a extensão do acometimento do sistema venoso dos membros inferiores.

Essas varizes de membros inferiores podem complicar com tromboflebite (oclusão da veia varicosa e inflamação), dermatite ocre e úlcera venosa. Embora os vasos túrgidos que podemos ver nos membros inferiores indiquem a presença de problemas nas veias, sua ausência não quer dizer que isto não ocorra. Este exame pode informar a localização exata do coágulo e dizer se ele está em veias maiores, como a veia safena na coxa ou veias profundas. Portanto, as varizes dos membros inferiores são uma só doença, desde um microvaso de pele até uma grande veia varicosa. Carregando o excesso de peso corporal coloca mais pressão nas veias e pode contribuir para inflamação ou refluxo, especialmente nas maiores veias superficiais, como a veia safena nas pernas. Preservação da veia safena magna na cirurgia de varizes dos membros inferiores. A veia cava inferior é formada pelas duas veias ilíacas comuns que recolhem sangue da região pélvica e dos membros inferiores. A forma mais comum de trombose venosa é a trombose dos membros inferiores, acometendo as veias profundas e calibrosas da perna, coxa ou pelve. Além disso, conforme o útero cresce, a veia cava vai sendo comprimida, o que dificulta o escoamento do sangue vindo das veias dos membros inferiores.

  • Oclusões arteriais - Causadas geralmente por trombos ou placas ateromatosas
  • Aneurismas - Dilatações arteriais
  • Varizes - Dilatações venosas
  • Anastomoses de artérias e veias - Para tratamento dos traumas vasculares

Elas fazem parte de uma doença mais abrangente chamada Insuficiência Venosa de Membros Inferiores.

Quando a trombose ocorre em uma veia mais profunda chama-se Trombose Venosa Profunda (TVP) e ocorre em uma ou mais veias localizadas geralmente nas pernas. Varizes de membros inferiores – isoladamente são consideradas de baixo risco para de trombose venosa.Diagnóstico de Trombose É realizado através do exame clínico e de exames de imagem. Todo ano, mais de 1,5 milhões de americanos procuram tratamento para problemas relacionados à varizes, sendo que 23 destes pacientes apresentam sintomas decorrentes do refluxo da veia safena. Como a veia safena não é um conduto maior para o retorno venoso dos membros inferiores a sua remoção pode ser compensada completamente pelo sistema venoso profundo. A doença mais comum nas veias é a “insuficiência venosa”, geralmente representada pelas varizes. HALL (1962) publicou a utilização da veia safena magna in situ para revascularizações dos membros inferiores, técnica que não despertou, na época, grande interesse entre os cirurgiões vasculares. Foram analisados, então, 144 veias safenas magnas utilizadas como enxerto arterial nas revascularizações de membros inferiores de 144 pacientes. Antes da popularização, entre os cirurgiões vasculares, da técnica do uso da veia safena in situ (LEATHER.POWERS, KARMODY, 1979), eram eliminadas as veias com diâmetro inferior a 4 milímetros. Da primeira revascularização de membro inferior em 1948 (KUNLIN, 1949) até 1962 a veia safena magna foi usada, exclusivamente, de forma reversa.

TO VARIZES VARIZES DE MEMBROS INFERIORES OU INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA VARIZES são dilatações das veias dos membros  inferiores, que se encontram tortuosas, com perda da função destas veias.

Por estas razões, a veia safena deve seguir rigorosas seleções para serem retiradas nas cirurgias de varizes dos membros inferiores. Recomendação quanto ao emprego de embolização de varizes pélvicas para o tratamento da incompetência venosa pélvica e como coadjuvante no tratamento de varizes de membros inferiores 3.1. Este texto abordará as varizes nas pernas (varizes dos membros inferiores), dando ênfase às causas, sintomas, prevenção e tratamento. 4) Alterações da pele Além do edema, a retenção de sangue dos membros inferiores pode causar alteração de coloração da pele, deixando-a mais escura e arroxeada. - Veias Superficiais: (exceto tributárias de safena magna e parva) - Ausência de varizes superficiais no membro avaliado Ou -Presença de varizes superficiais nas faces (reticulares tronculares e telangiectasias). Pelo contrário, a retirada causa melhoria na drenagem venosa dos membros inferiores, aliviando sintomas, melhorando a estética e prevenindo as complicações da evolução da doença. Quando as veias afetadas pelo coágulo são mais profundas trata-se de uma tromboflebite profunda, ou trombose venosa profunda. Ainda que esta doença pode manifestar-se em qualquer parte do corpo, afecta principalmente as veias dos membros inferiores. INCIDÊNCIA DE TROMBOSE EM MEMBRO ASSINTOMÁTICO EM PACIENTES PORTADORES DE TROMBOSE VENOSA PROFUNDA CONTRALATERAL.

PROFILAXIA DA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA NO TRAUMA ORTOPÉDICO DO MEMBRO INFERIOR.

PROFILAXIA DA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA NO TRAUMA ORTOPÉDICO DO MEMBRO INFERIOR.. 1991. As veias safenas mais regularmente encontradas são a veia safena magna (ou safena interna), a veia safena parva (ou safena externa) e as veias safena acessórias (anterior e posterior). Dentre as veias safenas supracitadas, a mais comumente acometida por refluxo é a veia safena magna. Varizes são veias superficiais anormais, dilatadas e tortuosas que acometem os membros inferiores (MMII). No Tratamento do edema (inchaço) dos membros inferiores, em pacientes que apresentem varizes, nos pós-operatórios das cirurgias venosas, após escleroterapia e na cicatrização de úlceras venosas. Qualquer veia do corpo pode ser acometida pela trombose, embora seja mais comum nos membros inferiores. A rotina preventiva para a trombose venosa profunda, doença potencialmente fatal, deve ser iniciada com fisioterapia, movimentando-se ativa e passivamente os membros inferiores naqueles pacientes impossibilitados de sair do leito. A sensibilidade do exame para as veias safenas magna e menor varia de 91% a 95%, enquanto a especificidade varia de 95% a 100%.5 Classificação da doença venosa O sistema venoso do membro inferior tem grande capacidade residual e assumirá a função da veia safena magna ou da veia safena menor.

Ocorre trombose venosa profunda em menos de 1% e 1,3-5,7% dos pacientes após procedimentos endovenosos da veia safena magna e da veia safena menor, respectivamente.15,29 A deambulação precoce é essencial.

Ocorre após uma trombose venosa profunda, flebite ou varizes de membros inferiores de longa duração. As veias que mais causam problemas são as safenas (temos duas em cada perna), mas as varizes podem ocorrer em outras veias superficiais. A trombose venosa, cuja localização é variável, traduz-se por flebite, no entanto é mais comum afetar os membros inferiores. - Quando afeta as veias mais profundas: dor e edema acometem apenas um dos membros inferiores. Atenção: Ao se identificar a presença de tais sinais e sintomas, deve-se procurar auxílio médico especializado o mais rápido possível (angiologista, ou, na suspeita de trombose venosa cerebral, um neurologista). A trombose venosa profunda é uma doença potencialmente grave causada pela formação de coágulos (trombos) no interior das veias profundas. Classificação CEAP: Clínica, Etiologia, Anatomia, FisioPatologiaCEAP 0 = sem sinais visíveis ou palpáveis de doença venosa CEAP 1 = Telangiectasias < 1mm; Varizes reticulares 1 a 3mm; CEAP 2 = Veias varicosas > 3mm 9 EXAME VASCULAR PERIFÉRICOABORDAGEM DO PONTO DE VISTA DE SINAIS E SINTOMAS QUE LEVAM A HIPÓTESES: (Montagem do “Quebra-cabeça”) ARTERIAL VENOSA LINFÁTICA 3 Seu principal princípio ativo, a escina, age diretamente nos sintomas, proporcionando mais qualidade de vida à mulher que tem varizes ou qualquer outra apresentação da Insuficiência Venosa Crônica.

Entre estas, as mais frequentes na gravidez são as varizes, habitualmente nos Membros Inferiores (MI) mas também na vulva e nas veias recto-anais sob a forma de hemorróidas.

Em casos de insuficiência venosa, deve usar-se meias de grau I (18-21 mmHg), ou elásticas de grau II (23-32 mmHg) se há varizes marcadas com edema moderado (2). As varizes são veias superficiais anormais, dilatadas, cilíndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, caracterizando uma alteração funcional da circulação venosa do organismo, com maior incidência no sexo feminino. Essa resposta será fundamentada na classificação e graduação da doença venosa dos membros inferiores (CEAP – classificação clínica ©, etiológica (E), anatômica (A) e patológica (P)). João Medeiros, 36 anos, Alvalade A Trombose Venosa é uma doença causada pela formação de coágulos (trombos) no interior das veias. A veia cava inferior é trajeto obrigatório para os coágulos que se formam nos membros inferiores com trombose venosa atingirem a circulação pulmonar. O angiologista por sua vez é mais procurado para o tratamento de varizes – que é o surgimento de veias dilatadas e retorcidas que mais frequentemente ocorrem nos membros inferiores. Quando há doença que acomete as veias safenas, que são longas veias superficiais, pode ser necessário interromper o fluxo de sangue pelos trajetos doentes da veia safena. Dois estudos publicados em 2001 (saiba mais aqui e aqui) mostraram melhora dos sintomas de insuficiência venosa como cansaço e edema com o uso oral dessa substância. O Doppler venoso de membros inferiores (MMII) avalia as veias que drenam o sangue das pernas. Varizes nos membros inferiores é a doença vascular mais comum. De presença inconstante, a veia de Giacomine  – um prolongamento da Safena Parva no sentido proximal – pode ser fonte de refluxo e sintomas, devendo ser tratada em tais situações. A insuficiência venosa crônica (IVC) representa uma síndrome clínica composta por edema, hiperpigmentação (ou dermatite ocre) e úlcera de membros inferiores (MMII). A causa mais frequente de IVC é a alteração valvular das veias profundas dos MMII em decorrência da trombose venosa profunda (TVP). As varizes de MMII também podem causar IVC, devido à insuficiência de veias perfurantes insuficientes, representando, contudo, um quadro de estase venosa menos complicado.